5 dicas para evitar mal estar na corrida

Grande parte dos corredores já passou mal durante a corrida, ou logo após o seu término, em razão dos mais variados sintomas: náuseas, enxaquecas, desconforto intestinal…

Será que você já passou algum desconforto com a corrida? Listamos aqui 5 situações de mal estar comuns na corrida, segundo os nossos seguidores. Entenda o que acontece e anote as dicas para evitar esses desconfortos.

Quer assistir a maior parte deste conteúdo em vídeo? Clique na janela abaixo e assista a mais um episódio de perguntas e respostas da Série ANDREI RESPONDE, do Canal do Corrida Perfeita no YouTube:

#01 Assaduras

As assaduras em geral são causadas por um atrito, uma fricção tanto no contato entre a pele, tanto no contato da pele com o tecido e a costura das roupas.

Elas acontecem por causa do movimento constantemente repetido durante a corrida e pioram bastante com a umidade do suor e também com o calor do corpo. Com o atrito, a pele fica vermelha, assada e irritada, podendo até ficar ferida.

As assaduras acontecem muito na região das axilas (sob os braços), na parte interna das coxas, na virilha e, no caso das mulheres, também abaixo dos seios, na altura do top.

Para evitar o problema, você pode investir em roupas mais justas e com mangas mais compridas. Pode também aplicar a boa (e barata!) vaselina, para que a pele escorregue ao entrar em atrito com outra superfície ou com ela mesma

É interessante também evitar acabamentos de roupas com muitas costuras e etiquetas ou elásticos. E também optar por tecidos mais “respiráveis”, para não reter calor ou umidade durante a corrida.

#02 Dor de barriga

Um seguidor do Corrida Perfeita questionou: “Quando estou no km 10 mais ou menos me dá uma vontade de ir ao banheiro fazer o nº2. Porque será?”

O que pode estar acontecendo, nesse caso, é uma dor de barriga causada por uma alta intensidade na corrida, ou então em consequência da desidratação.

No caso, não é possível afirmar ao certo sobre a intensidade, já que o esforço varia no quilômetro 10 em uma prova de 10k ou em uma de 21k, por exemplo… Sem saber exatamente o contexto, uma afirmação específica poderia ser equivocada.

Mas, em linhas gerais, é interessante entender que, quando o seu corpo trabalha em uma intensidade muito alta, ele vai concentrar o fluxo sanguíneo naquela região que está sendo utilizada. No caso da corrida, as pernas.

Se você ainda está com alimento no intestino, ao aumentar a intensidade do exercício, o corpo fica com menos sangue para concluir o processo da digestão e isso faz com que a dor de barriga aconteça.

Em especial no final da corrida, onde é comum um grande aumento de intensidade (aquele sprint final), ocorre também um aumento da acidez do organismo, que pode levar a um mal estar, inclusive gástrico, e não somente intestinal.

É importante também considerar a desidratação, pelo mesmo motivo da intensidade, já que os órgãos digestivos necessitam de água para concluir o processo.

Com a corrida, mesmo que não seja intensa, a temperatura do corpo se eleva, e o organismo tende a utilizar toda água que nele houver para auxiliar a termorregulação (resfriamento) do corpo. Ou seja, o organismo desvia a água para outra finalidade.

Com menos água ou sangue para concluir o processo digestivo, a tendência é que o corpo tente expelir o quanto antes o alimento acumulado. Se ele ainda estiver no estômago, é possível que aconteçam náuseas e vômitos. Se o alimento já está no intestino, a dor de barriga é bastante provável.

Para evitar esse tipo de desconforto, a solução é adotar uma dieta equilibrada e uma hidratação adequada. O ideal é consultar um nutricionista para saber quais alimentos e rotinas funcionam melhor para o seu organismo.

#04 Incômodo na ponta dos dedos e unhas

Aqui mesmo no blog do Corrida Perfeita você acessa um artigo bastante detalhado sobre bolhas nos pés ao correr. Clique aqui para ler.

Em síntese, quando o assunto são dores ou incômodos nas pontas dos dedos dos pés, a primeira coisa que deve ser analisada é o seu tênis de corrida, com relação ao conforto e o tamanho do mesmo.

Se o seu tênis está muito apertado, apoiando a ponta dos dedos no cabedal, o que pode estar havendo é uma pressão nos dedos, que acaba por causar a formação de calos, bolhas ou traumas nas unhas, deixando-as arroxeadas.

Do contrário, se o tênis está grande demais, com espaço sobrando, é possível que você esteja posicionando os seus dedos em garra, pressionando-os da mesma forma que o tênis apertado.

As consequências (bolhas, calos etc.) são as mesmas. A única diferença, no caso, é que se está  fazendo essa pressão de cima para baixo, uma posição bastante comum a quem corre com espaço sobrando no tênis.

Dica extra: acesse um artigo completo sobre como escolher o seu tênis de corrida aqui.

#05 Tontura e dor de cabeça

Tontura e cefaleia são duas coisas que não são normais e precisam ser investigadas com auxílio médico.

Ficar tonto ao levantar rapidamente, por exemplo, é uma situação normal, pois o seu corpo está levando oxigênio para o cérebro de uma maneira, com uma pressão sanguínea X, que é mudada de forma abrupta, causando assim uma rápida tontura, que logo passa.

Mas isso é só um exemplo e não tem nada a ver com a corrida.

A corrida é um estímulo constante e não deveria causar nenhum tipo de tontura, nem no início, nem durante e nem no final.

Dessa forma, é interessante investigar e tratar a causa da tontura, que pode estar relacionada a problemas de fraqueza, como uma hipoglicemia ou uma pressão baixa, por exemplo. Mesmo que o problema seja simples, a causa deve ser investigada com apoio médico.

Com a dor de cabeça a questão também é a mesma e merece ter a causa investigada a fundo.

Uma das hipóteses para a dor de cabeça ao correr (ou após a corrida) é a desidratação. A pressão sanguínea aumenta com a atividade e o corpo necessita de mais água, tanto para a termorregulação, como também para o transporte do oxigênio ao cérebro e aos músculos.

Para evitar a desidratação, é importante descobrir o quanto o seu organismo perde de água ao correr (saiba mais nesse artigo) e fazer a reposição não só da água, mas também dos sais minerais perdidos.

De qualquer forma, ocorrendo dor de cabeça ou tontura ao correr, é essencial procurar um médico para poder dar sequência aos treinos de forma segura.

Também tem dúvidas sobre dores e lesões na corrida?

Acesse os artigos aqui do blog e também os vídeos do Canal do Corrida Perfeita no Youtube.

Saiba que, investindo em uma técnica eficiente, você pode correr com mais saúde e mais desempenho que o atual.

É essa filosofia e prática que levamos aos milhares de assinantes do método Corrida Perfeita.  Ele contém lições de técnicas e exercícios que podem fazer você correr mais rápido já no próximo treino ou prova.

Duvida? Então confere as aulas da versão grátis do nosso Programa e se surpreenda bastante:

Clique aqui para experimentar a versão GRÁTIS do Programa Online Corrida Perfeita.

E vamo que vamo… rumo à Corrida Perfeita!

Deixe seu comentário