Joelheira para correr: vale a pena usar?

Será que a joelheira ajuda a aliviar a dor no joelho ao correr?

Seu uso contínuo pode ajudar a tratar uma lesão? Vale a pena investir nesse tipo de acessório?

Descubra aqui se a joelheira ajuda ou não quem está com problemas no joelho e quer continuar correndo.

Nesse artigo você vai descobrir ainda a verdade que pouca gente fala à respeito das suas dores e lesões no joelho. Mas, antes de seguir a leitura, saiba que você também pode acessar esse mesmo conteúdo em vídeo na janela abaixo:

Joelheira sempre foi um assunto polêmico no mundo do esporte. Com exceção às joelheiras de proteção do vôlei, criadas para absorver impacto, as joelheiras “estabilizadoras” sempre deram margem para discussões no meio esportivo.

Vamos aqui apontar alguns prós e contras, para que ao final deste artigo você tenha a segurança em tomar as melhores decisões para sanar suas dores e lesões no joelho.

Tipos de joelheira

Existem vários tipos de joelheira: tem o modelo que cobre tudo, algumas com um reforço de ferro nas laterais, outras apenas em neoprene, várias delas com e sem furo na região patelar, além das joelheiras tipo faixa sub patelar, usadas logo abaixo da patela.

Para que serve a joelheira de corrida?

A joelheira serve para oferecer alguma estabilidade na sua articulação. Para isso ela foi feita e, de fato, cumpre o seu papel. Só que, nem por isso deve-se generalizar o seu uso.

Quem sente dor provavelmente vai se frustrar com o uso, já que ela pode até oferecer algum alívio local, porém não ajuda a eliminar a origem da dor.

No caso, a joelheira poderá ser útil para quem já tratou a lesão e precisa limitar os movimentos, como no procedimento pós-operatório, por exemplo.

Se esse não é o seu caso, antes de investir no acessório, procure investigar primeiro o tipo de lesão que você tem e a origem da sua dor.

Se você usar a joelheira para proteger o menisco, por exemplo, provavelmente ela não será eficaz. Confira na ilustração abaixo:

Em geral, o menisco recebe uma pressão de cima para baixo durante a corrida. E a joelheira foi projetada para conter outro tipo de movimento: a rotação lateral do joelho.

Por outro lado, se o problema é a estabilidade patelar, a joelheira já pode ajudar a aliviar um pouco mais essa lateralização do movimento.

Para entender melhor isso, é preciso conhecer o movimento natural de flexão e extensão do joelho na corrida. Observe como é um movimento estável e em uma única direção (vertical):

Ou seja, todo movimento que venha a fugir deste padrão natural pode lesionar em algum momento as suas articulações.

Joelheira reforçada com ferro

A ideia de todas as joelheiras é a mesma: estabilizar a articulação por fora, protegendo-a.

Com a joelheira mais rígida, reforçada com ferro, a proposta é dificultar ainda mais o movimento rotacional e também o movimento do fêmur escorregando para trás e para frente, quando os ligamentos estão lesionados.

O problema é que, para impedir esse movimento lesivo, a joelheira precisa ser muito rígida, o que, nesse caso, impossibilita a prática da corrida.

Em outras palavras: a única joelheira que verdadeiramente cumpre o seu papel de imobilizar a articulação é a mesma que não te deixa correr direito. (Você vai ter a sensação de estar correndo com uma perna de pau!)

Joelheiras maleáveis

As joelheiras mais maleáveis já possibilitam a prática do esporte, porém perdem a finalidade original de estabilização da articulação. Ou seja: não oferecem nenhum benefício em seu uso.

Nessa lista entram quase todos os modelos: inteiras, com furo na banda patelar, em material mais rígido ou aqueles modelos mais simples, em neoprene.

Quanto maior for a flexibilidade do material, menor será a estabilidade oferecida pela joelheira. Por isso, dificilmente a joelheira de neoprene poderá te ajudar de alguma forma.

A menos que você assuma o uso delas apenas por um “efeito placebo”. E isso funciona, já foi até cientificamente comprovado. É possível parar de sentir dor condicionando o seu cérebro a assimilar um remédio ou acessório (no caso, a joelheira flexível) como alívio. Isso é efeito placebo, nada mais.

Faixa sub patelar

Há também a joelheira da moda: a faixa sub patelar. Ela foi desenvolvida na intenção de retirar a pressão no tendão patelar. Com essa joelheira, você realmente alivia um pouco da pressão da patela sobre o fêmur durante a corrida.

De todos os modelos que avaliamos, este parece ser o mais viável para o uso nas corridas. Alivia discretamente a dor, mas não há nenhuma evidência de que isso ajude a tratar a lesão a longo prazo.

Então, o mais interessante sempre será investigar e se livrar da causa da dor e não adotar o uso de nenhum acessório como “muleta”.

O que queremos dizer com isso: as joelheiras são apenas meros paliativos quando o assunto é dor e lesão.

Na maior parte das vezes, o caminho recomendado é você buscar corrigir um problema mecânico na sua corrida, preparando seu corpo para correr com eficiência. No final do artigo você saberá o que fazer nesse sentido.

Que tipo de dor você sente?

O famoso joelho do corredor, por exemplo, é um desgaste da chamada banda iliotibial e a dor dessa lesão é uma espécie de fisgada na lateral do joelho. Essa é uma lesão que acontece muitas vezes por causa da pisada cruzada.

No vídeo acima quando o pé entra desalinhado no chão, à frente do corpo, há o que a gente chama de “torque rotacional”, com seu joelho girando internamente. Nesse caso, a banda iliotibial acaba suportando o movimento que foge do eixo natural do joelho durante a corrida, conforme já visto.

O desgaste desse tipo de pisada sobrecarrega também a patela, que acaba sendo lateralizada por esse movimento rotacional.

Ou seja: um movimento ineficiente, além de gerar a dor na lateral do joelho, pode desgastar outras estruturas ósseas como a patela e causar outros problemas.

Em casos como esses, a joelheira de nada vai adiantar se você não melhorar o seu padrão de movimento na corrida.

E não é só isso.

É bom lembrar que a articulação não faz força. Quem faz a força são os músculos e tendões que movimentam a articulação.

Ou seja, sem uma cadeia muscular forte o suficiente para suportar o impacto, a corrida fica mais difícil e lesiva. É preciso fortalecer a musculatura que sustenta o seu joelho.

Três simples atitudes  para nunca mais precisar de joelheira:

#1 Desenvolver a sua consciência corporal na corrida

Entenda o funcionamento mecânico do seu corpo e aprenda a ativar as musculaturas certas para executar um movimento de corrida mais eficiente e menos lesivo.

Conheça as forças que atuam sobre o seu corpo, como a gravidade, e use-as a favor do seu movimento. Assim, a sua corrida será mais prazerosa e muito menos lesiva.

A seguir, você terá acesso a algumas lições sobre essa consciência corporal na corrida.

#2 Fortalecer a musculatura de forma específica para a corrida (é rápido e fácil)

Faça um treinamento de força específico para a corrida. Trabalhe em exercícios funcionais todos os músculos ao redor do joelho.

Adote um treino específico para corredores e não as séries tradicionais das academias.

As séries que temos no nosso Programa Corrida Perfeita, por exemplo, não exigem equipamentos e levam cerca de 15 minutos para serem feitas. Você vai conhecê-las grátis, mais abaixo.

#3 Treinar os movimentos de corrida

Melhore a mecânica da sua corrida. Corrija a sua postura, pisada, movimento do quadril e dos braços com o apoio dos chamados exercícios educativos de corrida.

Os educativos ajudarão você a assimilar novas e melhores formas de correr. São exercícios simples e rápidos de executar antes dos treinos, até mesmo como aquecimento, por cerca de  5 a 10 minutos.

Ao executar os exercícios educativos com frequência, você “ensina” um novo (e mais eficiente) padrão de corrida para o seu corpo.

É a repetição constante que vai fazer com que o seu cérebro entenda esses movimentos como naturais e, assim, você adotará uma nova forma de correr de forma intuitiva, sem ter que “pensar” e “ corrigir-se” o tempo todo.

Como fazer tudo isso? Por onde começar?

Para mostrar que isso é possível, separamos para você, na versão gratuita do Programa Corrida Perfeita, nossa lição essencial sobre consciência corporal na corrida, uma série de exercícios funcionais de fortalecimento e uma série de educativos para o movimento de corrida.

Entendido que a solução de seus problemas, seja no joelho ou em outra parte do corpo, está no seu próprio corpo, e não em acessórios como a joelheira?

Busque desde já resolver a origem da sua dor ou lesão. Enquanto você não fizer  isso, a dor ou lesão nunca irá desaparecer de verdade.

Clique no link e comece agora a preparar o seu corpo e o seu movimento do jeito certo para a corrida.

E vamo que vamo (sem muleta!) rumo à Corrida Perfeita!

Deixe seu comentário